Atenção!

Aqui você encontrará exclusivamente e-books (no formato ePub) que retratam as diversas faces do universo gay.

Minha arte é livre e você pode compartilhar tudo como quiser, desde que você não altere o conteúdo do livro que baixar. Se houver interesse em adaptar minhas obras para outro tipo de manifestação artística, por favor, acrescente o nome do autor: moa sipriano e a fonte: moasipriano.com no material de divulgação do seu trabalho.

Espero que você desfrute de excitantes descobertas durante o passeio do seu olhar curioso nas curvas tonteantes do meu devaneio homopop.

moa sipriano

Para ler os livros sipriânicos...

... num computador com Windows XP: Sumatra. Windows 7 ou 8: Adobe Digital Edition. Tablets ou smartphones com Android: Aldiko. No Mac, iPad, iPod Touch ou iPhone: iBooks. Para a linha Asha da Nokia ou em celulares antigos com ou sem tela sensível ao toque: Albite Reader. No Windows Phone: FBReader.

Os aplicativos sugeridos são gratuitos. Baixe, instale e boa leitura!

Porta vermelha - Moa Sipriano

Porta vermelha

Por medo ou imaturidade, damos as costas para o Amor, embarcando em relacionamentos desatrosos, acomodados, de fachada. Porém, quando duas pessoas estão destinadas a realizar algo que ainda não chegou ao fim, cabe a uma das partes tomar coragem para atravessar a "porta vermelha" que separa uma existência medíocre de duas vidas repletas de companheirismo e realizações positivas. Mas como dar o passo decisivo se ainda nos encontramos atados ao Vazio?

UM prazer solitário - Moa Sipriano

UM prazer solitário

Três anos haviam se passado desde que Danilo fez a promessa. O antigo "devorador de homens" cumpria com louvor seu objetivo mais insano: nunca mais ir para a cama com outro macho. Mas como resolver a questão da fúria de sua libido incontrolável? Danilo aprendeu a se satisfazer sozinho. A técnica foi ensinada pelo padre Vald, um amigo virtual que mostrou todos os macetes para se usufruir plenamente das delícias de um prazer solitário.

Padre Pop - Moa Sipriano

Padre Pop

"... Quando chegava o momento de se consumir o corpo e o sangue do Cristo, só a simples ideia de permanecer por microssegundos próximo daquele machobjeto de todos os desejos, encarando furtivamente aqueles lábios rosados... meu deus... já era motivo suficiente para que passássemos as próximas três horas manipulando nosso sexos, solitários, em movimentos sensuais e selvagens, trancados em nossos quartos imundos de um universo irreal..."

Chico - Moa Sipriano

Chico

"... Eu não fui seu primeiro homem, mas confirmo que fui aquele que você mais amou. Sei disso porque simplesmente fomos o Primeiro Amor um do outro! Perdoa-me por esse relato de palavras sem um pingo de originalidade, mas é no ridículo do comum que encontramos os absurdos das nossas faltas e tentamos, de um jeito capenga, remendar as imperfeições das nossas relações..."

Advogado - Moa Sipriano

Advogado

Num encontro casual – como acontece a todo momento quando há sintonia entre duas pessoas que se desejam mesmo sem saber –, Ivan, o poeta, "esbarrou" em Martin, um advogado que fazia compras numa peixaria. Química imediata, o fogo sagrado levou os dois machos a se consumirem por algumas horas. Acompanhe o relato de Ivan e descubra os indícios que levaram o poeta a não investir numa relação fadada ao fracasso. Por culpa do advogado? Por culpa do poeta?

O Amor está no ar - Moa Sipriano

O Amor está no ar

Juliano e Maurício se cruzaram pelo Orkut. De imediato, o que parecia apenas uma mera atração sem compromisso, culminou no nascimento de algo verdadeiro, raro, intenso. Sair do virtual para o real foi um passo difícil, porém inevitável. Eles descobriram mais do que afinidades. Eles se entregaram ao que sentiam, sem reservas, sem medos. Apenas decidiram viver aquilo que já estava traçado. A Grande Rede seria a madrinha de mais um raro caso de sucesso entre iguais.

O diabo veste prata... e lê a bíblia - Moa Sipriano

O diabo veste prata

Jaime tinha 16 quando descobriu as alegrias do primeiro amor compartilhado com André. Quando os pais de Jaime descobriram seu relacionamento "pecaminoso" com outro garoto, internaram o filho em uma clínica evangélica de "recuperação" de homossexuais. Acompanhe o relato de um jovem que apenas desejava viver em toda sua plenitude o amor que atualmente – graças a deus! – ousa dizer o seu nome.

Meu pai, meu macho - Moa Sipriano

Meu pai, meu macho

Arthur deixou uma carta sobre a mesa da cozinha, sabendo que o pai a encontraria com facilidade mais tarde, pois adorava preparar o almoço domingueiro para o seu único filho. Porém, naquele dia, Júnior não queria degustar a entediante carne de cordeiro feita pelo papai. Ele se preparava há muito tempo para ser, finalmente, o "prato principal".

O Sinal - Moa Sipriano

O Sinal

Aquele sonho era apenas fruto do subconsciente? Aquele aviso seria o derradeiro estopim para reaver e definir de uma vez por todas uma relação porcamente resolvida do passado? Cabe a você decidir o momento exato de agir. Ou poderá perder a última chance de viver ao lado do grande companheiro da sua atual existência. Por covardia... apenas por pura e simples covardia.

Prost Tuto - Moa Sipriano

Prost Tuto

"... Numa rua deserta, em algum lugar da Vila Mariana, depois de um beijo longo e intenso, consegui enfiar as notas de 50 no bolso e logo em seguida paguei um profundo boquete-cunete para o meu primeiro cliente. Sem frescuras, sem medos, sem neuras. Somente a entrega. Foram cinco clientes na noite de estreia: duas chupadas, uma 'metida' e duas 'dadas'. Com camisinhas sabor morango..."

Meu filho, meu amante - Moa Sipriano

Meu filho, meu amante

Tito sempre se envolvia emocionalmente com homens errados. Na intimidade só havia lugar para frustrações e mágoas dilacerantes, em noitadas de sexo sem um pingo de amor, mas repletas de culpas e frustrações. Mas o tempo mostrou que o companheiro ideal estava mais próximo do que ele podia imaginar. Hoje, eu sou pai e amante do meu próprio filho.

2º Sinal - Moa Sipriano

2º Sinal

A última esperança de um homem apaixonado que luta para reencontrar um grande amor do passado é enviar uma derradeira carta repleta de verdades, sonhos e saudades ao antigo endereço do amante, torcendo para que esta chegue nas mãos do homem jamais esquecido.

Boneca de pano - Moa Sipriano

Boneca de pano

Quando criança, Tiago apanhou e foi humilhado pelo avô simplesmente porque gostava de brincar com uma boneca. Tiago aprendeu cedo a conviver com a Ignorância e o Preconceito, reconhecendo a homofobia e a hipocrisia na própria alma. Mas o sábio Destino sempre acaba cruzando o caminho daqueles que merecem ser respeitados, revelando toda a verdade por trás das velhas máscaras.

Atus - Moa Sipriano

Atus

A violência grita nos atos de um policial corrupto, que ataca gays negros durante suas noites de vigília. Um rapaz, ao tentar defender um jovem das atrocidades cometidas pelo policial homofóbico e racista, acaba sofrendo atos sexualmente violentos. Ao vagar pela cidade, profundamente ferido após a madrugada de terror, ele é amparado por um outro policial, e a esperança se renova enquanto o Amor se mantém à espreita.

Violina - Moa Sipriano

Violina

Durante um passeio de rotina, Angeli esbarrou numa celebridade da música sertaneja. Abalado por causa do fim de seu relacionamento clandestino com um homem, o famoso músico encontrou a coragem necessária para revelar seu "outro lado" ao novo amigo. A carência deu lugar a uma amizade sem cobranças. O envolvimento que deveria ser passageiro abriu espaço para uma união de escape e deliciosas revelações.

O cunhado - Moa Sipriano

O cunhado

Klaus estava se recuperando em casa após um acidente de moto. Sid resolveu visitar o cunhado, com a intenção de cuidar dele durante a ausência de sua irmã Monika, que deixara o marido para viajar com o filho e passar alguns dias na casa de uma amiga. Após uma franca conversa e momentos de agradável convívio, Klaus revelou a extensão do seu carinho por Sid e provou que o amor fraternal entre dois homens está acima de todas as diferenças.

Meubranco - Moa Sipriano

Meubranco

Havia o duelo. Um enlace violento de corpos masculinos era iniciado todas as noites, pontualmente às vinte e duas horas. Dois homens maduros se gladiavam por tempo indeterminado, onde após toda sorte de variantes de um ato sexual intenso, insano, perturbador, ondas de amor e ternura finalizavam mais uma noite exótica. Conheça o vício do sexo, a luta pelo domínio total sobre o parceiro, as sequelas da submissão e o obscurantismo da razão.

Nos braços de Darel - Moa Sipriano

Nos braços de Darel

Frustrado após meses de infrutíferas caçadas virtuais, Élvio achou que havia tirado a sorte grande quando finalmente foi "escolhido" por um macho dos sonhos que morava em São Paulo. Era a primeira vez que ele ia conhecer uma cidade grande e realizar uma aventura clandestina com um homem desconhecido. Élvio só queria perder a virgindade e saber como era o sexo entre iguais. Infelizmente, foi a última vez que ele foi visto com vida.

Corinto - Moa Sipriano

Corinto

Insatisfeita com o marasmo e a rotina de um casamento sem brilho sexual, uma mulher culta, inteligente e fogosa busca novas experiências sexuais. Satisfazendo um desejo enrustido por anos, ela finalmente toma coragem e descobre uma forma inusitada de se passar por homem, a fim de realizar fantasias eróticas com gays no interior de um parque público.

O sonho de Ícaro - Moa Sipriano

O sonho de Ícaro

Pedro estava eufórico. Finalmente ia realizar um desejo antigo: sentir seu corpo leve pairando sobre nuvens fofas no meio do azul infinito. Alexandre, seu namorado, havia programado a viagem, o acampamento, os detalhes do voo. O casal ia celebrar um ano de união estável. Tudo indicava que aquele final de semana seria mágico e inesquecível. Mas a Intolerância rondava os rapazes, incentivando um monstro disposto a aniquilar aquele amor juvenil.

João e João - Moa Sipriano

João e João

Brito está casado e sente-se realizado ao lado do filho Carlos e do marido, João. Após dez longos anos, inesperadamente Brito recebe a visita de um ex-amante, disposto a reconquistá-lo de todas as maneiras. Após uma conversa franca e honesta entre ambos, as marcas negativas do passado foram devidamente apagadas. Brito indica a João, o ex-companheiro, que sempre há uma oportunidade de ser feliz, sem que para isso seja necessário desfazer uma bonita amizade.

Hedir - Moa Sipriano

Hedir

"... Algo inesperado aconteceu. Minha mãe comentou com o homem santo sobre a dificuldade que eu estava enfrentando para conseguir um emprego. O pastor então fez um convite, debaixo de um sorriso lindo, afirmando que havia um posto de trabalho temporário disponível em seu templo. Eu deveria pintar a Casa do Senhor. Assim eu ganharia uns trocados. Foi aí que tudo começou..."

Transando com Jesus - Moa Sipriano

Transando com Jesus

Alguns autonomeados "pastores" proclamam que o alicerce que sustenta suas existências é baseado na Moral. Fazem questão de afirmar que pregam sobre o Amor e a importância da Família. Aos olhos do mundo, cuidam muito bem do seu rebanho. Mas é fato comprovado que esses "divinos" cospem palavras vazias em troca de bolsos cheios. E muitos preferem gastar suas energias numa cama oculta... com um belo e fogoso rapaz.

Ne...Go - Moa Sipriano

Ne...Go

Um artista consagrado adorava caçar companhias masculinas que pudessem lhe proporcionar alguns minutos de prazer intenso, de preferência acompanhado por humilhações e dores físicas. Ne... Go era insaciável. O sexo dominava todas as suas ações, encarcerando sua razão. Acompanhe um fim de semana na vida de um recluso homem branco capaz de tudo para saciar seu único objetivo: trepar com deliciosos machos negros.

Ludwig - Moa Sipriano

Lugwig

"... Alemão chorou. Era um anjo caído, criado e educado pelos homens. Continuava a escrever em letras irregulares: Quinze anos. É uma pena que você acredite que ainda somos jovens demais para assumir nossas decisões íntimas perante nossos pais e amigos não adiantados. Mesmo assim, sinto que um mundo de possibilidades nos aguarda, mesmo que nossos caminhos permaneçam separados. Eu sinto que vou encontrar o Grande Amor. No devido tempo...”

Luca - Moa Sipriano

Luca

Advogado revela ser viciado em "homossexo", praticando o ato friamente e de maneira egoísta com inúmeros parceiros anônimos durante anos. Mas o Destino coloca no caminho de Detlev um jovem simples e puro de coração, que se transformará num companheiro compreensivo, conduzindo Detlev a compartilhar algo que ele jamais imaginava viver ao lado de outro homem: o Amor.

Gesuis - Moa Sipriano

Gesuis

Depressivo após o término do último relacionamento, um jovem gay visita o tio evangélico, seu ex-amante, que o convence a participar de um culto em sua igreja. Sentindo-se ainda mais deprimido por não ter encontrado conforto durante a reunião religiosa, a visão de uma foto na casa do tio desperta no rapaz a descoberta da eliminação definitiva de todos os seus problemas. Ele finalmente encontrará o necessário amparo em "gesuis".

Boa noite, sr. Sexo - Moa Sipriano

Boa noite, sr. Sexo

Após uma visita de cortesia a uma conhecida adoentada, Hector encontra num quarto de hospital o seu maior ídolo: um famoso ator pornô gay. Desnorteado, Hector se dá conta que tem o privilégio de passar alguns momentos ao lado do macho que dominou por tantos anos todas as suas mais íntimas e loucas fantasias. Nascia ali uma chance única de conhecer o Homem por trás do Mito.

Uma carta para Hans - Moa Sipriano

Uma carta para Hans

Sid não esperava mais encontrar um amor para preencher sua vida. Até o dia em que Hans apareceu. Uma paixão fulminante desnorteou todos os sentidos de Sid. Através de cartas, Sid projetou seus sentimentos mais profundos, suas verdades mais honestas e seu desejo único de cuidar de um rapaz tímido que ansiava passar seus últimos dias ao lado de alguém muito especial.

urso urbano - moda para ursos
2001 / 2014 Moa Sipriano. Todas as obras são de minha autoria. Todos os livros são livres.
moa sipriano - escritor moa sipriano no facebook moa sipriano - rss moa sipriano no twitter moa sipriano - contato